Oi gente, tudo bem? Já falei sobre o filme da Netflix, Para todos os garotos que já amei (tem spoilers) e hoje vou dizer o que achei do filme.
A comédia romântica Para Todos Os Garotos Que Já Amei, da Netflix, é uma adaptação do primeiro livro da TRILOGIA escrita por Jenny Han, dirigido por Susan Johson (Quase Um Segredo) e o roteiro foi adaptado por Sofia Alvarez (Man Seeking Woman).
Para Todos Os Garotos Que Já Amei traz diversidade pois Lara Jean e suas irmãs são de ascendência coreana, o que deu um charme a mais no romance.

Além disso, o filme aborda o respeito entre as famílias porque Lara Jean é orfã de mãe e o pai de Peter Kavinsky foi embora de casa para viver com outra mulher. O casal mantém um respeito por essas faltas em suas famílias.
Gostei do filme pois Peter Kavinsky em momento algum expôs Lara Jean de uma forma vulgar, mesmo sendo um namoro falso e ele tendo o estereótipo de galã da escola, atleta e o mais popular. Muitas das vezes se espera que um personagem como esse seja de alguma forma machista e “troglodita”, o que não é o caso do Peter.

 

O casal ficou perfeito e eles tem realmente muita química. A diferença de altura entre Peter e Lara trouxe uma sensação de que Peter sempre irá defender Lara Jean. Achei um charme!

Ok, uma história previsível, mas a beleza do casal; o jeito doce da Lara e o descontraído do Peter temperam o filme.
Gostei muito da fotografia. Os planos para mim foram bem feitos, colocando o casal no centro da imagem e mostrando os sentimentos de cada um quando se olham.

Percebi que Lara Jean estava meio constrangida no início mas Peter, com seu jeito divertido e leve de levar a vida, conseguiu deixá-la mais segura e assim se apaixonar por ele.

Lara Jean não é popular, nem a mais bonita, nem a personagem mais rica do filme; mas tem uma família feliz, se dá bem com as irmãs e o pai. Sonhadora, inteligente, muito romântica e, ao mesmo tempo, tem os pés no chão. Sabe que a vida não é uma perfeição, creio que pelo fato de ter sido criada sem a mãe.

Nos dias de hoje esse filme mostra como as garotas e mulheres gostam de serem tratadas: como prioridade.

Peter colocou Lara como prioridade na sua vida, mesmo sendo um namoro inicialmente falso.
Ele mandava bilhetes, ia buscá-la em casa para irem à escola juntos, fez questão de levá-la na festa que foi convidado, quis que ela viajasse com ele, a levou para conhecer sua família e a defendeu perante todos da escola quando o vídeo deles se beijando foi parar num site de pornografia.
Com toda a segurança que Peter passa, de forma alguma a personalidade dele se mostra como machista mas sim um gentleman.

Esse é um filme que pessoas de qualquer idade vão gostar e tenho certeza que depois de um tempo vão querer assistir de novo, porque ele dá saudades.

O filme acaba com eles realmente firmando um namoro, dessa vez de verdade. Agora é esperar o segundo filme PS: Ainda te amo, que deve vir em 2020.

 

Beijos e até o próximo post, Mari Sales

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe: